tour de 3 dias em faro

1º Dia

Bem-vindo ao nosso Tour pelo Algarve. Estaremos a percorrer toda a região. Estamos no início, e este é o nosso Tour de 3 dias em Faro. A partir daqui, vamos manter-nos perto da costa, movendo-nos para os cantos mais longínquos da região e para o interior, viajando para o leste através das regiões montanhosas até chegarmos à fronteira espanhola, depois voltaremos para a costa e, lentamente, viajaremos de volta para Faro.

Muitos turistas são atraídos para o Algarve pelas suas praias deslumbrantes, noites quentes de verão, campos de golfe de primeira linha e características naturais incríveis, que prometem deixar os seus visitantes maravilhados. Enquanto a sua popularidade continua a crescer em todo o mundo, ainda existe um lado do Algarve que continua a ser inexplorado por muitos: Faro, a principal porta de entrada para o Algarve.

O Aeroporto de Faro é frequentemente a primeira paragem no seu percurso para o Algarve e, para alguns, é o único lado de Faro que alguma vez conhecerão. Esta cidade subestimada é, de facto, a capital do Algarve, mas recebe muito menos atenção do que as suas atrações turísticas vizinhas no ocidente. Decidi que Faro merecia mais do que apenas uma visita de avião. Às 10h15 aterrei no sul de Portugal pela primeira vez, com uma mala e um plano para explorar todas as cidades do Algarve.

Era final de setembro e a temperatura ainda estava quente o suficiente para um mergulho. Em 15 minutos, um táxi poderia levar-me para a praia de Faro ou para o centro da cidade, tudo o que tinha de fazer era escolher. Por conveniência, decidi pela última opção e fui direto para a Luxury Guest House_Opus One, o meu alojamento para os dois dias seguintes.

Após o check-in, estava pronto para o meu passeio matinal. Em menos de 5 minutos estava em frente à Igreja do Carmo, uma igreja barroca datada do século XVIII e paga com ouro brasileiro. A primeira coisa que me chamou a atenção foram os caixilhos das janelas, amarelos e brilhantes, contrastando com os traços rústicos da fachada do edifício. No topo das torres da igreja, grandes ninhos de cegonha surgiam, uma visão que acabaria por encontrar na maioria dos pontos altos da cidade.

Entrei e fiquei ainda mais impressionado com os detalhes dourados que embelezam as paredes da igreja, de cima a baixo. O meu bilhete também incluía uma visita à Capela dos Ossos, que fica logo atrás do edifício principal da igreja. “Pare aqui e considere este o seu destino” - li antes de entrar numa sala totalmente adornada com ossos e crânios, como se me estivessem a observar de todos os ângulos. Estes são os restos de mais de 1000 monges que foram exumados de um cemitério local superlotado, durante o século XIX. Por mais assustador que pareça, este lugar lembra que a vida é efémera e que o nosso destino está marcado nestas paredes.

Depois da capela, dirigi-me até à Marina de Faro, onde muitos moradores ancoram os seus barcos. Daqui, caminhei em direção à Cidade Velha, fazendo o meu caminho através do antigo Arco da Vila. Fui recebido pelo santo padroeiro da cidade, São Tomás de Aquino, a figura que fica no topo deste arco neoclássico que marca a entrada do bairro medieval conhecido como Vila-a-Dentro.

Assim que entrei, encontrei a Catedral de Faro, um esplêndido edifício que durante a ocupação mourisca serviu de mesquita. Mais tarde, com os ataques das tropas inglesas e uma onda de terramotos devastadores, a igreja passou por uma série de reformas que alteraram significativamente as suas características originais. O resultado é uma mistura única de arquitectura renascentista e barroca. Mas é no topo da torre do relógio que a verdadeira beleza se apresenta. Se seguir as escadas estreitas até ao topo da Catedral, será recompensado com vistas deslumbrantes da cidade de Faro e do Parque Natural da Ria Formosa. Este é um dos melhores miradouros da cidade e o local perfeito para capturar o pôr do sol.

O ruído do meu estômago foi ofuscado pelas doze badaladas dos sinos da igreja, um sinal de que era hora do almoço. Quando estava a caminho do Museu de Faro, encontrei o restaurante Faz Gostos, onde apreciei a minha primeira refeição portuguesa. Imaginei que, já que estava perto da costa, deveria pedir peixe fresco. Olhei para o menu e escolhi uma cataplana com amêijoas e camarões, uma deliciosa introdução à culinária local. (Por favor, note que o Faz Gostos não está aberto para almoço nos fins de semana).

Com os meus níveis de energia reabastecidos, continuei a minha caminhada e entrei no Museu Municipal de Faro, onde descobri mais sobre a história do Algarve através da coleção de artefactos do museu. Desde a era pré-histórica até ao período neoclássico, o museu apresenta uma variedade de itens, mas foram os grandes mosaicos romanos que me conquistaram, e o jardim do claustro, vigiado por gárgulas escondidas logo abaixo do telhado.

Segui em direção ao Jardim da Alameda João de Deus, o maior jardim da cidade. Guiado pelo corredor de palmeiras, fui conduzido a uma pequena casa listada com belos detalhes islâmicos. Também encontrei outro edifício néo - árabe, um antigo matadouro, que presentemente é a principal biblioteca da cidade. Se não fosse pelos pavões que passeavam no jardim, poderia dizer que me encontrava em Marraquexe.

Depois de um passeio relaxante, fui ao restaurante Chefe Branco para um delicioso jantar caseiro. O final perfeito para o meu primeiro dia em Faro. O fato do caminho para o hotel ser em linha recta, impediu que me perdesse, o que era quase inevitável depois de alguns copos de vinho ...

Mapa do percurso para o 1º dia deste tour


,

,

Tour no Algarve | Tour no Algarve - 2º Dia